Pesquisadores encontram uma maneira de acelerar a fotossíntese

Ao manipular os genes que afetam a fotossíntese, os pesquisadores aumentaram os rendimentos da soja em 20%. O processo pode ser repetido em outras culturas.
Agosto 23, 2022
Daniel Dawson

Notícias recentes

Pesquisadores de universidades dos Estados Unidos e do Reino Unido desenvolveram uma forma de tornar a fotossíntese mais eficiente na soja.

Após mais de uma década de trabalho, cientistas da Universidade de Ilinois e da Universidade de Lancaster abordaram o que haviam identificado anteriormente como um dos aspectos menos eficientes da fotossíntese.

Nossa pesquisa mostra uma maneira eficaz de contribuir para a segurança alimentar... Melhorar a fotossíntese é uma grande oportunidade para obter o salto necessário no potencial de rendimento.- Amanda De Souza, pesquisadora de pós-doutorado, University of Illinois

Normalmente, as plantas absorvem a energia da luz solar e a transformam em dióxido de carbono. Eles também usam água e minerais absorvidos do solo para criar açúcares que criam crescimento.

No entanto, sob luz solar muito forte, as plantas liberam excesso de energia como calor para proteger suas células de serem danificadas. Esse processo de deslocamento do chamado "modo de crescimento plenamente produtivo” para o "modo de proteção” leva vários minutos, resultando em uma perda natural de eficiência.

Veja também:Estudando as Reações das Plantas aos Estressores Ambientais Chave para a Agricultura Sustentável

Ao ajustar os genes responsáveis ​​por essa função protetora da planta, os pesquisadores conseguiram acelerar o processo, o que resultou em um aumento de 20% no rendimento das plantas de soja.

"Esse salto no rendimento é enorme em comparação com as melhorias que obtemos através do melhoramento de plantas”, disse Stephen Long, cientista agrícola que trabalha nas duas universidades, à BBC. "E o processo que abordamos é universal, então o fato de que ele funciona em uma cultura alimentar nos dá muita confiança de que isso deve funcionar em trigo, milho e arroz.”

Anúncios

A eficiência da fotossíntese em oliveiras também pode ser melhorada usando um método semelhante, embora as culturas básicas sejam o foco principal da pesquisa.

Long acrescentou que as plantações podem estar crescendo em campos dentro de 10 anos, mas as leis sobre o cultivo de culturas geneticamente modificadas provavelmente afetariam a rapidez e onde essas culturas poderiam ser introduzidas.

Os resultados deste experimento chegaram em um momento incrivelmente oportuno, pois aumenta a preocupação com a escassez global de alimentos criado por secas, conflitos e problemas na cadeia de suprimentos.

Um recente Denunciar da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação descobriram que quase 10% da população global estava com fome em 2021. O relatório acrescentou que a situação tem piorado nos últimos anos.

De acordo com o Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas para a Infância (Unicef), mais de 660 milhões de pessoas enfrentarão desnutrição e insegurança alimentar até 2030.

Os cientistas por trás desta pesquisa esperam que ela ajude os agricultores mais pobres do mundo a ter colheitas mais produtivas e a aumentar a produção de alimentos nas áreas onde são mais necessários.

"O número de pessoas afetadas pela insuficiência alimentar continua crescendo e as projeções mostram claramente que é preciso haver uma mudança no nível da oferta de alimentos para mudar a trajetória”, disse Amanda De Souza, principal autora do estudo.

"Nossa pesquisa mostra uma maneira eficaz de contribuir para a segurança alimentar das pessoas que mais precisam, evitando que mais terras sejam colocadas em produção”, concluiu. "Melhorar a fotossíntese é uma grande oportunidade para obter o salto necessário no potencial de rendimento”.



Anúncios

Artigos Relacionados

Feedback / sugestões