`Os fenóis do azeite de oliva ajudam a proteger a massa óssea - Olive Oil Times

Os fenóis do azeite ajudam a proteger a massa óssea

Dezembro 1, 2014
Sukhsatej Batra

Notícias recentes

Aqui está mais um motivo para adicionar azeite de oliva à sua dieta. Um artigo recente baseado na revisão de 37 estudos científicos relata que o fenóis no azeite de oliva extra virgem pode impedir a perda de massa óssea.

Já existem evidências de que populações que consomem a dieta mediterrânea têm uma incidência menor de osteoporose e fraturas. Em 2013, um grande estudo de coorte de 188,795 indivíduos de oito países europeus relatou que os indivíduos com uma maior adesão à dieta mediterrânea tinham um risco menor de fraturas de quadril.
Veja também:Benefícios de saúde do azeite
A ligação entre a ingestão de azeite e a saúde óssea foi investigada em outro estudo que avaliou três grupos de homens idosos ao longo de um período de dois anos. Suas dietas mediterrâneas incluíam uma ingestão diária de pelo menos 50 mililitros de azeitona virgem ou 30 gramas de nozes mistas, enquanto o terceiro grupo consumia uma dieta mediterrânea com baixo teor de gordura. No final do período de estudo, os pesquisadores descobriram que apenas o grupo com ingestão extra de azeite de oliva tinha níveis aumentados de osteocalcina sérica e pró-colágeno N-terminal do pró-colágeno, ambos associados a um efeito protetor na saúde óssea.

Além disso, existe uma associação positiva entre a ingestão de ácidos graxos monoinsaturados e a densidade mineral óssea. Isso é destacado em um estudo que relata que a incidência de fraturas é menor na Grécia, onde o azeite de oliva é a principal fonte de ácidos graxos monoinsaturados, do que nos Estados Unidos e países do norte da Europa.

Neste curso 2014 artigo de revisão publicados no International Journal of Food Science and Nutrition, os pesquisadores se concentraram na literatura de bancos de dados biomédicos para determinar se os fenóis presentes no azeite virgem afetavam a massa óssea.

O azeite de oliva extra virgem contém muitos fenóis que proporcionam benefícios à saúde, incluindo proteção contra doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer e o processo de envelhecimento. De acordo com os resultados da revisão, os fenóis do azeite de oliva virgem também podem desempenhar um papel na prevenção da osteoporose.

A oleuropeína, um componente fenólico chave do azeite de oliva, pode prevenir a perda óssea associada à osteoporose e ao envelhecimento, aumentando a formação de osteoblastos (células formadoras de osso) a partir das células-tronco da medula óssea e diminuindo a geração de células de gordura. Em estudos com animais, a oleuropeína protegeu contra a perda óssea ao prevenir a osteopenia induzida por inflamação.

Anúncios

Experimentos com células-tronco da medula óssea humana descobriram que a oleuropeína pode prevenir a perda óssea e a osteoporose causadas pela idade. Outro estudo em células da medula óssea de camundongos indica que a oleuropeína e o hidroxitirosol podem ser eficazes na redução dos sintomas da osteoporose. Os dados também sugerem que outros fenóis, como a luteolina, podem prevenir a perda óssea na osteoporose pós-menopausa, reduzindo a ação e a função dos osteoclastos, que são células que degradam o tecido ósseo.

As propriedades antioxidantes dos fenóis, tirosol e hidroxitirosol, podem aumentar a formação óssea, atuar como sequestradores de radicais livres e impedir danos induzidos por oxidação nas células ósseas. O hidroxitirosol sozinho também estimulou a deposição de cálcio e inibiu a formação de osteoclastos.

Embora os resultados de modelos experimentais indiquem a benefícios dos fenóis no azeite virgem na manutenção da saúde óssea, é necessária pesquisa clínica para confirmar esses achados.

Parece, no entanto, que além de proteção contra doenças cardíacas e câncer, a ingestão regular de azeite virgem pode ser uma solução simples, mas eficaz para prevenir a osteoporose, que a Organização Mundial da Saúde designou como "segundo maior problema de saúde em todo o mundo, depois de doenças cardiovasculares. ”


Anúncios

Artigos Relacionados

Feedback / sugestões